You are currently browsing the tag archive for the ‘apartamento 52’ tag.

Sim, voltei a escrever !!! \o/

Meu blog de textos e poesias está de volta e agora será divulgado direito !! hehe

Para os frequentadores do Apartamento 52, fica um novo blog:

Ossos do Escritório

Enjoy 😀

Anúncios

Vocês já conhecem ????

Agora estou escevendo pra galera da Mãe do meu amigo!!! Calma, calma…esse é só o nome do blog mesmo! 😛

Se vocês quiserem acompanhar o “Apartamento 52” por lá, fica a dica – MÃE DO MEU AMIGO

Muitas novidades, dicas, besteiras e sempre conteúdo novo que surge na web.

mamãe, eu quero subir no ranking do blogblogs

Se você está cansado de ver blogs piores do que o seu subindo horrores no ranking do Blogblogs e o seu humilde blog lá, estacionado na traseira do ranking, essa é a sua chance. Nós vamos te ajudar a alcançar os lugares mais altos do ranking que é referência em qualidade no Brasil. Essa é a sua chance.

Grite para todo mundo ouvir: “Mamãe eu quero subir no ranking do BlogBlogs!”.

Não tem mistério nenhum. Chegou a hora de você deixar para trás aquele seu amigo blogueiro que alcançou a fama, sucesso e mulheres apenas postando imagens engraçadinhas, enquanto você, um jovem culto, mestre na arte da comunicação, não consegue nada além das visitas da sua mãe e da sua namorada. Chegou a hora de você figurar nas primeiras posições ao lado dos grandes nomes da blogosfera nacional.

A campanha Mamãe eu quero subir no ranking do BlogBlogs vai te colocar lá no topo, onde os melhores  estão. Para participar é simples: Divulgue a campanha para o maior número possível de blogueiros.

A cada post sobre a campanha, o blog em questão deve linkar os outros blogs participantes. Esse é o segredo do sucesso amigão! Links. Não importa se você é PhD em Física Quântica ou se aprendeu a ler hoje. O esquema é linkar, linkar e ser linkado! Essa é a mágica da qualidade!

Anote a sua posição atual e, ao final da campanha, olhe para trás e dê risada do quão medíocre você era antes dessa campanha.

Não perca tempo, divulgue já para todos os seus amiguinhos. Não perca tempo. Link é relevância!

Essa é uma iniciativa dos blogs inSUPORTÁveis e Rafabarbosa.com.

Blogs Participantes:

inSUPORTÁveisRafaBarbosa.comSNES-ClassicsLazerPaguei MicoTotalmente ResponsaNerdPobreDesconspiraçãoAté Tu BrutusBoneco de MeiaCogumelosO CrepúsculoTriplo SentidoCaixa PrettaPapibakigrafoFester Blog –  Estranhos Europeus – IgaumSenhor CoxinhaMacacumorJacaré não come AlpisteMuita PimentaBlog StereoPortal BroguiAJ Seu estranhoE-FailSpeed Racer Go BrazilPica Pau BrazilBlog da MandiocaMalcanKamikaze BlogMamão PapaiaMalvadaBlog AlternativaPraticando HumorResistance BaseTudo a veEsqueci as chavesOs GugasFoodasticosMedo do EgoDenkerQuarto UniversitárioSlinkBlogCafé com PãoBlog do TiagoPiorXGoogleMomento PiadaFábio P.Blogando BlogSeu BogaDraxCorto Cabelo e pintoOutsideBalabuscaVoidTorresmo FrescoQuatro MinutinhosQue Mario?O Padre VoadorMundo VéioMente Vazia é Oficina!Cogumelo LoucoVipuraíVelhoN3thoCorvos de MaltaNadaVeNa MoscaBate CabeçaTô ZuandoXerox66Comic WorldBravusD_Ver@sMedsi DownloadsPlano BetaSónaboaBlog do CatarinoDekantalabassiO que rola na netInfonet NewsDia QuenteMinino BoboToques de PrazerErro 404Jose Carlos Jr.Eh MemoGestantesBlog do AnaniasHumorotoDicas na netCRPOUm TudoCérebro de BatataSeita Sempuu{D}efeitos EspeciaisPapo de ButecoTio Punk @GregaOncioso –  SuspensaVai DigitandoTop PacaralhuDJ MaguSempreONPiggBalastracaTudo JuntoCidadão MalucoMundo dos BloguesUsuário CompulsivoA vaca foi pro brejoNerd Somos NozesFalando DormindoCerebelo na BritaEfeito JouleGiba NetCozinha MasculinaBlog do InhoGrãos de areia pelo infinitoCriativo de GalochasTríade NerdAthanazioThe LG blogZine AcessoIrrealidadeSempre TopsDeliárea RemodelaçõesFerramentas BlogMente com curiosidadesGirls WirelessX com tudo dentroTô AtoaWarning DownloadsBoa GranaVixe ManoBlog DireçãoAnderson NascimentoSwellBlog do GalvãoPopular Nem TantoIrradiando LuzSó piadasQuadridekoComputação MóvelBlogaragemPeido de VéiaCódigos BlogZoom DigitalBlogando 2.0Rock dos LokosRondonia FestMalandro eh o patoRiso em fotoAmenidades da CristandadeCapa VerdeChronicles & TalesUnlimited (RED)Ah! tri Né!Asttro!Cadê o Ganso?E-Mail TwistGordo BestaTrocistasRbardiniSobreturismoOmediSobre CarrosBlog da DOCMj-CoffeeholickEita Preula!AtecubanosBlog NotíciasHTMHelenEstimulanetOsigiIncrível BroguiPolaróides CríticasUniverso 42Humor de EscolaMax Games IBAHeadbangerEla tá de Xico!Papo de barEstimulanet-TattooReengenhandoFalando em sérieShalshisheiraSuperBillyManual do BigBossA Espada do DragãoA Arte da VidaUniverso da VidaBomba DigitalEvandro NunesBoomerangueBlog do LançaShining ForcewowBlog do CaipiraArthur SorrisoMatriz Ativa OnlineAll DownloadingFastfeedsMK DownloadTribus BobeuCachoeirinha CityDiversão & CIAGeek’s FunDireto ao PontoInfomarotoPaulinho CanevazziCatupiry FatiadoXilindoxEtc S/AO Brasil de todos os povosAmenidades da CristandadeVéio TaradoBlog do LéoMentor IncorpóreoEtc. Coisa e TalGroselhas AmenasO Fogar do chimpínIneet’sMundo DesbravadorBITNewApartamento 52

Para participar também, é simples! Basta você comentar nesse post ou nesse, mandando o link da postagem sobre a campanha !

Começando uma nova seção aqui no Apartamento 52 : Dicas Inúteis

Como o título ja diz… são inúteis (porém engraçados!)

DICAS DE COMO PASSAR SEU TEMPO DENTRO DE UM ELEVADOR

Achei esse texto no meu antigo blog e resolvi fazer uma repostagem, pois ele merece! Ok, é velho … mas quem não gosta de dar umas risadas, né!

Leiam agora 25 maneiras legais (e bizarras) de passar seu tempo dentro de um elevador (porque ninguém gosta daquele silêncio constrangedor

1) Quando houver só uma pessoa no elevador, de um tapinha no ombro dela e finja que não foi você.

2) Aperte os botões do elevador e finja que eles dão choque. Sorria e faça novo.

3) Se ofereça para apertar os botões para os outros, mas aperte os botões errados.

4) Segure a porta e diga que está esperando por um amigo. Depois de um tempo, deixe a porta fechar e diga: “Olá Zé. Como vai você?”

5) Deixe cair sua caneta e espere até alguém se oferecer para pega-lá, então grite: “Ei, é minha!”

6) Traga uma câmera e tire fotos de todos no elevador. Depois diga que está fazendo um trabalho para Perícia.

7) Traga uma mesa para dentro do elevador e quando alguém entrar, pergunte se marcaram hora.

8) Leve um Banco Imobiliário e pergunte para as pessoas se elas querem jogar.

9) Deixe uma caixa no canto e quando alguém entrar pergunte se elas ouviram um tique-taque.

10) Finja ser uma aeromoça e revise os procedimentos de emergência com os passageiros.

11) Pergunte: “Você sentiu isso?”

12) Fique bem perto de alguém, fungando em seu cangote de vez em quando.

13) Quando a porta se fechar, fale: “Tudo bem. Não entrem em pânico. Ela abrirá novamente”.

14) Mate moscas que não existem.

15) Diga às pessoas que você pode ver sua aura.

16) Grite: “Abraço grupal”, então force as pessoas a se juntarem.

17) Faça caretas dolorosamente enquanto bate na sua testa e murmure: “Calem a boca, todos vocês, calem a boca!”.

18) Abra sua pasta ou bolsa e enquanto olha dentro dela pergunte: “Tem ar suficiente aí dentro?”

19) Fique quieto e parado no canto do elevador, encarando a parede.

20) Encare outro passageiro por um tempo, e grite com horror: “Você é um deles!” e recue devagar.

21) Coloque uma marionete na mão e use-a para falar com os outros.

22) Escute as paredes do elevador com seu estetoscópio.

23) Faça barulhos de explosão quando alguém apertar um botão.

24) Encare outro passageiro por um tempo e fale: “Estou usando meias novas”.

25) Desenhe um pequeno quadrado no chão com giz e diga para os outros: “Este é o meu espaço”.

São coisas bizarras que deixam os outros com vergonha, com medo e assustados. 😀

– Aconselho escolher bem suas vítimas (Para não haver agressões após as bizarrices)

Depois – Dicas Inúteis (parte2): 11 Maneiras Criativas de passar seu tempo num Supermercado

Hasta luego!

A maçante idéia da falta de cafeína no sangue levanta sérias hipóteses de delirantes noites em claro não serem causa do meu problema crônico de insônia e sim a falta de coca-cola.  Assim como os dias passam devagar quando não se tem nada pra fazer, e quando se está atrasado dois minutos vão-se no tempo de um.  

As coisas mais simples de se montar parecem impossíveis quando se perde o manual de instruções. O último táxi parado sempre está com a luzinha apagada e sempre aparece alguém (do nada) para pegar o que está disponível. O sinal sempre fica verde quando você põe o pé no chão para atravessar a rua.

São aqueles dias que você acorda pensando que o mundo está girando ao contrário. Ou vai ver você está andando na direção oposta.  Aqueles dias que você abre os olhos e a força da gravidade fala mais alto. A vontade de ficar deitado na cama é tão grande, mas tão grande… Que você desperta uma depressão até então inexistente.

O despertador toca, e você já meio acordado nem sequer espera ele tocar a segunda vez, já o desliga.  Quando vai olhar as horas, pegou no sono e perdeu o horário. Correria, estresse e a causa do mau humor típico de 90% das pessoas numa segunda-feira as sete e quarenta e poucos da manhã.

Justamente nesse momento o sinal fica verde: quando você põe o pé no chão para atravessar a rua. (Lembrando que você está atrasado, e ainda tem que pegar o metrô – que por sinal vai estar lotado – para chegar ao trabalho e levar um esporro do seu chefe.)

E aí você, parado na esquina, esperando o sinal fechar, se encontra com um bando de desconhecidos. Cada um deles com a sua história, com o seu por que. Cada um com sua pressa. Cada um com o seu mundo particular.

E por uma fração de segundo você se desprende do seu corpo e vê essa cena. Uma segunda-feira nublada. Típico dia de São Paulo. Do seu lado esquerdo você vê executivos. Cada um com seu terno, sua mala e seu fone de ouvido. Do seu lado direito você vê alguns estudantes, uma senhora e seu York Shire e um casal de namorados de mãos dadas.

De repente um pequeno sorriso no canto da boca surge desprevenido. Aí você pensa em quão bela a vida é. E pensa naquela música que cairia perfeitamente praquele momento. O sinal abre, e aquele momento passa. Também passam as pessoas desenfreadas na sua frente e você volta subitamente à realidade. Entre empurrões e caras fechadas, você se pega sorrindo novamente, pois sabe que também é assim.

O medo constante do desconhecido nos deixa assim. O medo é a constante que rege, e de certa forma, liga nossas vidas. Medo da morte, medo de ter medo. Aquela mochila pesada que carregamos nas costas. Aquela máscara que colocamos no rosto todos os dias antes de sairmos de casa.

Medo de ser grande. Medo de errar. Medo de conseguir… Medo de seguir o coração e fazer o que acha que é certo. Medo de ser verdadeiro ou medo da verdade. Temos medo sem saber que na verdade não há verdade absoluta, mas sim a nossa própria verdade. A minha verdade, a sua verdade. A verdade interior. Isso é o que realmente importa no final. Como você se sente no fim de tudo. Se todo esse medo que você sentiu valeu a pena ou não.

Eu sinto medo o tempo todo. Medo de não ter tempo, medo de ser grande demais e não conseguir me sustentar depois. Sabe? Quando alguém cria uma expectativa de você, e quando te conhece acaba se arrependendo? Sinto medo de causar esse impacto negativo nas pessoas.

Sinto medo de me envolver demais com alguém. Sinto medo de amar demais alguém. Porque uma coisa é certa nesse mundo: Tudo que vai, volta. Mas se eu nunca amar ninguém, como alguém um dia pode me amar? Se eu ficar pensando demais na vida, ela vai passar diante dos meus olhos e eu não vou viver…

São aquelas coisas de criança. Quando você é pequeno quer ir sempre ao escorregador mais alto. Ai chega ao topo, olha pra baixo e muda de idéia. Quantas vezes já não desistimos de descer o escorregador mais alto por medo de tentar? Ai um dia, você cria aquela coragenzinha, que lá no fundo se mistura com um pouco de vergonha por “não ter ido ao escorregador até hoje” e vai. E você percebe que aquele medo era uma besteira. E percebe que perdeu tanto tempo pensando que fosse se machucar… E ai você vai de novo, e de novo, e de novo… Até cansar.

Hoje estava parada no trânsito e vi uma cena, no mínimo, inusitada. Uma mãe de mãos dadas com seu filho e mais duas amigas conversando, esperando o sinal fechar para atravessar a rua quando outra mulher e sua filhinha se aproximavam. O menino abriu os braços e pulou na frente da menininha. As mães se assustaram, não tinham idéia do que estava acontecendo. Ali ficou claro que as duas não se conheciam. As crianças se abraçaram. Foi um abraço tão puro e carinhoso. Livre de intenções. Foi simplesmente um abraço. As mães abriram um sorriso e seguiram seus caminhos opostos.

O caso não tem muito a ver com medo de tentar, mas nos mostra como somos frios e egoístas hoje. E pensar que em dez, quinze anos aquelas crianças vão andar nas ruas com seus óculos escuros e seus iPods. Nem sequer olhando nos olhos uma das outras. Com tanta coisa boa por aí, tanta gente boa. Tudo que a gente vê é tragédia e maldade. E a gente vai se acostumando… E vai ficando calado, e deixando de se preocupar com o importante.

Eu também já sofri. E ainda sofro. Não é meu sofrimento que faz de mim uma pessoa mais ou menos vivida do que outra. Tenho muitos medos, assim como todo mundo. Todo mundo sente medo porque até onde eu sei, todo mundo é mundo. O que a gente tem que ter é força pra enfrentar esses medos. Não importa o preço a pagar, não importa o que tivermos que sacrificar. Se valeu a pena, foi verdadeiro.

Gabriela Maltos

 

Um texto novo, pra começar (de novo) um novo blog. Quem sabe dessa vez eu continuo!!!

Quem leu até o final: Obrigada!

Quem não leu: Até a próxima …ou não!

Beijos,

Gabi